X – Arraiá do Tio João

X – Arraiá do Tio João

FESTAS JUNINAS 2018

No último final de semana da que compreende 30 de junho e 01 de julho a cidade de Luziânia recebeu várias festas juninas, nas escolas, nas ruas e em espaços culturais como é o caso do Arraiá do Tio João que já é realizada há 10 anos no bairro Parque Estrela D’alva – 0 em Luziânia. O evento promovido pelo Ponto de Cultura Tríade é um dos mais completos na atualidade em Luziânia, pois, segue rigorosamente os elementos tradicionais dos festejos juninos que realizados no nordeste brasileiro. Os festejos juninos envolvem a religiosidade em homenagens aos santos padroeiros, Santo Antônio, 13 de junho, São João, 24 de junho e São Pedro e São Paulo, 28 de junho, as influências trazidas pelos portugueses proporciona animação e entretenimento aos povos. Segundo João Almir – Produtor Cultural diz “Os festejos juninos é a própria identidade do povo nordestino, pois, vivenciar as tradições faz com que mantenha viva a memória aos povos, no Arraiá do Tio João procuramos trazer elementos fundamentais como: Decoração, trios de forró, frevo, grupos de quadrilhas, Literatura de Cordel, forró pé de serra, fogueira, dança de salão, comidas típicas, brincadeiras. Nessa perspectiva a cultura popular se fortalece garantindo as manifestações e o patrimônio imaterial”.

O evento contou com várias apresentações locais e regionais, grupo de dança Pellinsky do distrito federal que trouxeram o frevo e dança cigana, Estúdio de Dança Maria Carvalho, Grupos de quadrilhas Mandacaru e Família Busca Pé, Literatura de Cordel com o Poeta Popular J. Dias, de São Raimundo Nonato – PI, trio de forró Os Limas do Forró, dança de Salão, Academia Movidançe. No domingo 01 de julho ficou por conta do Clube de Veículos Antigos de Luziânia que trouxeram diversos carros antigos, foods trucks e shows de rock com as Bandas SER e Old Rock, foi uma oportunidade única para a comunidade ter acesso à cultura.
O projeto cresce a cada ano tem como objetivo proporcionar à comunidade o conhecimento popular repassado através da oralidade presentes nas manifestações folclóricas, músicas, danças, crenças, literatura de cordel e comidas típicas dos festejos juninos.

Por João Almir – Produtor Cultural